12.1.10

I – “Todas as raparigas devem ser tratadas como princesas”

Acho que escrevi o texto que se segue no meu 11º ano. Talvez um dia tenha paciência para o acabar.

- Jess?
A voz sexy do seu namorado fez com que se virasse para trás, ao som do monólogo do professor de Matemática. Mr. Rogers era somente ouvido por Jake, o aluno sobredotado que já tinha ganho cinco vezes as Olimpíadas da Matemática. E este ano não seria excepção.

- Sim Matt.
- Hoje passo por tua casa por volta das oito. Está bem?
- Deixa-me consultar a minha agenda mental – disse Jess com um sorriso maroto. Como Matt gostava daquele sorriso – Claro que sim.
- Fica combinado então. Já agora, estás mais gira do que qualquer outro dia em que já namorei contigo. Talvez por fazeres anos.
A rapariga mais bonita da sala do 12º cumpria o seu décimo oitavo aniversário. Talvez fosse a raparigas mais bonita de St. Barbara’s High School.

Longos cabelos loiros não pintados e uns grandes olhos azuis da cor do mar, um corpo bem feminino e o seu metro e setenta, deixavam qualquer rapariga caída de inveja. Ainda por mais namorava com o capitão da equipa de volei. Considerado um deus grego por 99% das raparigas de St. Barbara’s (o 1% eras as lésbicas que não lhe achavam assim tanta piada), Matt Stevenson era o namorado que qualquer rapariga queria mas só Jess podia ter. O seu corpo musculado, a sua tez bronzeada, o metro e noventa que envolviam a namorada que tanto adorava deixavam qualquer rapariga pelo beiço. Inúmeras cartas de amor anónimas eram deixadas nos cacifos de ambos apesar de toda a gente saber que eles eram inseparavéis. Faltavam dois meses para cumprirem um ano de namoro.

Jess encontrava-se vestida com a mini-saia Burberry oferecida pela mãe, a t-shirt Dolce&Gabbana oferecida pelo pai e os óculos à aviador da Chanel oferecidos pelo irmão mais velho nessa mesma manhã presos no decote da t-shirt. O seu longo cabelo loiro e liso estava preso num rabo-de-cavalo mal feito. Estava um estrondo. Jess não era aquela rapariga que andava sempre rodeada de amigos e não tinha uma vasta lista telefónica. Tinha os seus amigos mais próximos, aqueles em que confiava mesmo e depois tinha os seus conhecidos com quem por vezes estava. Mas era considerada a Miss Popularidade de St. Barbara’s. Era o delírio dos rapazes, babavam-se quando ela passava nos corredores, nem que só fosse para ir à casa-de-banho.
Mas só tinha olhos para Matt. E ele adorava isso.

- Triiiiiiiimmm…
Era o toque que indicava o fim da aula de Matemática e, sendo Sexta-Feira, era o fim do dia escolar. Dirigiu-se de mão dada a Matt até à ponta de escola.
- Combinei ir almoçar com a Christina ao Laguna. Ela disse que tinha um presente para mim.
- Está bem. Vejo que ficas bem entregue então.
- Sabes bem que sim. Também já não a vejo quase há uma semana. Tenho de matar saudades da minha melhor amiga, não é?
- Ok meu amor. Não te esqueças. Hoje à noite passo em tua casa. E já sabes, aparece vestida o melhor que puderes.
- Tens razão de queixa é? – Disse Jessica com um sorriso maroto, ao mesmo tempo que apreciava o cabelo fino de Matt.
- Claro que não – e agarrou-lhe as mãos – Confio no teu bom gosto.
- Bem, tenho de ir.
Pôs as mãos atrás do pescoço de Matt, este pôs as suas à volta da cintura dela e trocaram um longo beijo. Jess tocou com o seu dedo indicador no pequeno nariz de Matt, deu-lhe um beijinho também, virou as costas e começou a descer o hall de St. Barbara’s High School enquanto Matt admirava as suas curvas. Começou a desejar que a noite chegasse o mais rapidamente possível.

Mal viu a namorada a entrar num táxi, virou costas e dirigiu-se ao ginásio da escola que se situava num anexo mesmo em frente. Quando lá chegou, saudou Mr. Roberts, o treinador, que ia dando uns toques na bola, enquanto Matt caminhava para o balneário. Quando chegou, começou o assédio do costume:
- Então, hoje é uma caixa de chocolates?
- Naaa, ele está com cara de quem vai dar um perfume.
- Rosas? Eu tenho plantação lá em casa que a Jess devia adorar.
- Já sei, uma lanterna para quando hoje se perderem no vale dos lençóis em tua casa.
- Cala-te! Quase de certeza que comprou uma mala da Prada – dizia Grey, o fashion boy da equipa.
Nenhum deles tinha acertado. Nem de longe, nem de perto. Não lhes passava pela cabeça o que Matt tinha preparado.
- Calem-se lá! ‘Bora que o Robbie já está à espera. – Gritou.

Saíram do balneário numa grande azáfama. Mr. Roberts, ou Robbie para os seus alunos que o achavam extremamente parecido com o Robbie Williams, mandou logo fazer o aquecimento. Ninguém dizia que não fazia ou que estava extremamente cansado para fazer porque, apesar do ar querido e amigo do treinador, quando era preciso era extremamente severo, chegando ao ponto de não os deixar jogar nos jogos extremamente importantes. A equipa era os Lazzies 45 e era “A” equipa de volei de St. Barbara’s. Eram populares no colégio e arredores. Gente cheia de mérito e que trazia óptimo nome à escola e que originava bastantes corações partidos e amores não correspondidos. Cada rapariga tinha uma paixoneta por um rapaz diferente na equipa de volei. Cada um tinha as suas admiradoras. E eles adoravam aquilo.

Robbie dividiu a equipa ao meio e pô-los a fazer jogo de 7 para 7. O primeiro serviço foi parar directamente à cabeça de Grey. Estava com a cabeça em Jess, naquelas postura, naquela forma de andar, naquele abanar de ancas, naqueles beijos, naquele sorriso, naqueles olhos…
- Onde é que estás com a cabeça? És o capitão, tens que prestar atenção!
- É a Jess, Mister. – Disse Sean.
- Cala-te! – disse Matt revirando os olhos – deixe-me repetir.
- Miúdas – barafustou Robbie, atirando uma bolo às mãos de Matt.
O segundo já saiu bem. O jogo foi decorrendo com normalidade. Passaram-se duas horas. Eram quatro da tarde quando regressaram ao balneário.
- Diz lá o que preparaste para a Jess!
Enquanto era inundado por um monte de perguntas, ia-se despindo, tomando banho, secando-se, pondo desodorizante, vestindo-se e já com a mala e o capacete na mão, subiu a um banco do balneário e mandou todos se calarem. Fez um bocado de suspense e por fim disse:
- Saberão na Segunda! Bom fim-de-semana!

E saiu a correr do balneário no meio de muitas manifestações de desagrado por parte dos seus colegas. Pegou na mota e dirigiu-se para casa. Tinha quatro horas para se pôr no seu melhor. Ou melhor, no seu ainda melhor. Se é que isso era possível, ou se isso sequer existia. Esta noite ia ser diferente. A noite em que Matt iria tornar todos os sonhos de Jess realidade. Entretanto, Jess lá tinha ido encontrar-se com Christina no Laguna. O Laguna era considerado o meeting point da juventude de Miami Beach.

Passavam chill out e a comida era super simples. Era mesmo à beira-mar, em frente da praia Kay Ky. Jessica conhecia Christina à muito tempo, uns quinze anos. Conheceram-se com três anos no jardim infantil. Desde aí tornaram-se inseparáveis.
Christina Robberts era uma versão mais simples de Jessica. Morena de olhos verdes, com um metro e sessenta e cinco de altura, tinha o corpo mais atlético de rapariga que Jess alguma vez tinha visto. Passava grande parte do seu tempo no ginásio e o seu sonho era ser instrutora de surf (o qual praticava desde os dez anos e tinha imenso jeito). Não tinha namorado e era o centro das atenções onde quer que fosse (a menos que estivesse com Jess, mas ela não se importava porque as pessoas, ou melhor, os rapazes apercebiam-se que a amiga tinha namorado e as atenções concentrava-se nela). Muito enérgica, desportiva e sorridente, andava numa escola pública (Stephan’s High School) e adorava ir a festas. Festa era com ela. Estava no curso de artes.

- Como é bebé? – disse Christina mal viu Jess.
- Olá! – sorriu a amiga.
- MUITOS PARABÉNS!!! Olha o que eu trouxe para ti!
Pôs nas mãos da aniversariante um embrulho rectangular fininho. Parecia um quadro. Jess começou a desembrulhar e reparou que era realmente um quadro. Mas não era um quadro qualquer.

10 comentários:

Denise disse...

tens que continuaaar!! eu queroo lool.. gostei bastante tens muito jeito para a escrita:)

Jojozinha disse...

tas a gozar nao? e o resto?
Agora quero saber o q ele vai lhe preparar a noite!
isso nao se faz rita!

S. disse...

Continua please please quero saber o resto da história estava mesmo a gostar!

Beijinhos*

J disse...

adorei, continua por favor ;)

paula'maria disse...

Simmm, agora não nos deixes aqui assim... Ainda nos tiras o sono :P

Mary Jane disse...

Tb quero a continuação :) Estudo no Porto, mas sou de Torres Novas
beijinho

Carolina disse...

Por favor continua HAHA muito bom =D estou ansiosa por ler o resto ;)
tens muito jeito para escrever ^^

trendydays disse...

adorei ;)

mary.

Anónimo disse...

so podes tar a gozar oh monga! amo a historia mas tou ansiosa pelo finalll
kiss b.o

Anónimo disse...

fogo entreii aqii por acasoo e comecei a ler e nao consegui parar!!
adoreiiii mesmoo espero que continues por estou a esperaa beijinhoss** Raquel